sábado, 12 de dezembro de 2009

Literatura Guineense

Breve resenha sobre a Literatura Guineense

PROVÉRBIOS


• Dinti mora ku lingu, ma i ia daju i murdil.

Os dentes e a língua moram juntos; acontece, porém, que, às vezes, os dentes mordem na língua.


• Bardadi i suma malgeta, i ta iardi.

A verdade é como o piripiri: arde.


• Garandi, polõ. ma mancadu ta durbal.

O poilão é alto e forte, porém o machado derruba-o.


• Bias hu tu sibi dia di bai, ma bu ka ta sibi dia di riba.

Sabe-se o dia da viagem, mas não o do regresso.

• Mandadu ta frianta pe, ma i ka ta frianta korsõ.

A mensagem ou o recado transmitido por uma terceira pessoa descansa o pé, mas não o coração.


• Garandi i puti di mesiñu.

A pessoa de idade é um pote de medicamentos.


• Tartaruga kuma kil k‘na bí, sinta bu pera.

A tartaruga declara: Senta-te e aguarda tranquilamente o que está para vir.


in O Crioulo da Guiné-Bissau, Filosofia e Sabedoria, Benjamim Pinto Bull

Sem comentários:

Publicar um comentário